Notícia Destaque

26/08/2020

Dinâmicas das culturas de Milho e Soja no estado do Paraná

O milho é um dos principais produtos da agricultura paranaense.
Entretanto, sua retração devido à expansão da cultura da
soja, pode ter modificado os sistemas de produção.
A partir dos resultados do estudo realizado verificou-se a
transformação nos sistemas de produção de milho e soja, sendo
que a cultura da soja passou a ocupar áreas antes utilizadas para
a produção do milho de primeira safra, e houve aumento na área
de milho de segunda safra. Com isso, passa a predominar no
Paraná o sistema de sucessão das culturas de soja na primeira
safra e do milho de segunda safra.
A área colhida do milho primeira safra apresentou um decréscimo
de 55,8% entre 2007 e 2016, a uma taxa anual de 18,9%.
Todas as mesorregiões paranaenses tiveram decréscimo da área
de cultivo. As mesorregiões Oeste e Centro Ocidental foram as que
apresentaram as maiores reduções, 27,54% e 26,97% a.a. respectivamente.
A maior participação de área de cultivo foi na mesorregião
Centro Sul (cerca de 18%), com um decréscimo de 19,6%
a.a. Como o milho de primeira safra compete com a de soja no
verão, a variação anual da área ocupada para cada uma dessas
culturas se dá, em parte, pela substituição de uma pela outra, devido
a maior rentabilidade econômica apresentada pela soja. Assim,
a partir dos resultados percebe-se que houve uma transformação
nos sistemas de produção de milho e soja, sendo que a cultura da
soja passou a ocupar áreas antes utilizadas para a produção do
milho de primeira safra. Com isso, passa a predominar no Paraná
o sistema de sucessão das culturas de soja na primeira safra e do
milho de segunda safra. Ademais, no que se refere à quantidade
colhida do milho de primeira safra no Paraná, verifica-se uma queda
de 49% entre 2007 e 2016, a uma taxa anual de 16,2%. Todas
as mesorregiões tiveram decréscimo, de forma que a mesorregião
Centro Ocidental foi a que apresentou a maior queda (27% a.a.).
A mesorregião Centro Sul foi a maior produtora do Paraná, contribuindo
com 19% do total. Na região Centro Sul têm-se obtido altos
rendimentos relacionados entre outros fatores à sua maior aptidão
climática e de manejo do solo, que se encontra em estágio avançado
de adoção de sistemas conservacionistas.

No Paraná o milho de primeira safra é cultivado em todo o
seu território, em diferentes tipos de solos e climas, deste modo
as regiões especializadas se concentram, principalmente, nas
mesorregiões Sudoeste, Centro-Sul e Metropolitana de Curitiba,
que teve o maior índice tanto no período de 2007-2011, quanto
no período de 2012 a 2016. As microrregiões especializadas em
mil segunda safra se concentrou no Norte e Oeste do estado.
Ambas possuem características semelhante de clima, apresentando
condições edafoclimáticas propicias ao cultivo do milho
de segunda safra.
O desempenho crescente e positivo da produção de milho
segunda safra na região Oeste do Paraná se deve as cadeias
produtivas de aves e de suínos, uma vez que o milho é insumo
essencial para a alimentação. Além disso, somente as regiões
Oeste e Norte Central do Paraná conseguem se destacar nesse
cultivo, visto que as regiões Sul e Sudeste apresentam baixas
temperaturas, o que limita o cultivo comercial do milho de segunda
safra.
No caso da soja, a expansão se deu nas microrregiões de
Apucarana, Cornélio Procópio, Faxinal, Lapa, Francisco Beltrão,
Guarapuava, Ivaiporã e Pitanga. O deslocamento observado ao
longo dos anos se deu principalmente por meio da destinação de
áreas cultivadas com milho de primeira safra para a produção de
soja, por este proporcionar melhores resultados econômicos. Entre
1997 a 2016 o Estado do Paraná apresentou um aumento de 57%
no número de microrregiões especializadas na cultura da soja.
A partir dos resultados percebe-se que houve uma transformação
nos sistemas de produção de soja e milho. Com a expansão
da cultura da soja em locais com condições edafoclimáticas
favoráveis, esta passou a ocupar áreas antes utilizadas para a produção
do milho de primeira safra. No entanto, com a possibilidade
de se produzir uma segunda safra, os agricultores passaram a
cultivar o milho safrinha, ou seja, a produção de milho passa a se
concentrar na segunda safra. Com isso, no Paraná, passa a predominar,
cada vez mais, o sistema de sucessão de culturas, com
a produção da soja na primeira safra e do milho na segunda safra.

Fonte: Tiago Telles - IDR

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.